117
142 shares, 117 points

Leio em média cinco livros por mês, por vezes mais. Dentre romances, crônicas, poesias, científicos e tantos outros gêneros literários, como identificar um padrão? Que tipo de livro leio com mais frequência? Existe uma sequência lógica para escolha deles? Qual a probabilidade de gostar de um livro em especifico dentro de um mês, ou de ano, e fazer dele uma indicação constante como uma leitura original e surpreendente dentre tantas outras? Pois é, nesse experimento aleatório acho que encontrei um livro-evento

O livro ‘A Matemática nos Tribunais’, publicado pela editora Zahar, das matemáticas Leila Schneps e Coralie Colmez foi uma das melhores leituras de 2014. O título propõe detalhar sobre casos judiciais, onde cálculos, estatísticas e proporções matemáticas foram imprescindíveis para inocentar ou condenar alguém.

A matemática nos tribunais

São 10 casos descritos no livro de forma aleatória. As autoras, não ficaram presas a períodos, o que a meu ver permitiu uma maior flexibilidade do livro em transitar durante qualquer época. Um deles por sinal, aconteceu no final de 1800. Mas todos são muito bem detalhados, proporcionando uma leitura agradável para todo tipo de leitor. O leitor que se aventurar nas páginas do livro, só precisa de uma compreensão limitada de matemática, pois, toda e qualquer especificação é contextualizada, a fim de produzir um melhor entendimento para com a dissecação dos casos. Em um primeiro momento, pode-se passar a impressão de que a leitura poderia ficar presa a especificações técnicas do Direito e/ou da Matemática, mas muito pelo contrário, o que a dupla de mãe e filha fazem, é permear o livro com uma narrativa fácil, tirando de termos abstratos um sentido amplo.

Os casos são especificados com rigor e minucia, em um deles, por exemplo, uma mãe é acusada de matar um dos seus filhos e entra em uma infeliz proporção, em um outro caso, um filho é indiciado pela morte dos pais e por uma sucessão de eventos, cai em um cálculo probabilístico. Uma pirâmide financeira é esmiuçada em um dos casos e uma enfermeira é a principal suspeita em uma probabilidade que acontecia onde a mesma trabalhava. Um dos mais recentes e espantosos dos casos, é o relato sobre Meredith Kercher, uma estudante britânica, que foi encontrada morta no alojamento de um intercâmbio na Itália. Esse caso até hoje não foi totalmente esclarecido, os acusados do crime escreveram até um livro com a versão deles sobre os fatos e atualmente, se encontram em liberdade.

“Será que a Matemática deve ser usada nos tribunais? Será que ela deveria desempenhar algum papel na detecção e prova de um crime? A desvantagem óbvia, tema principal desse livro, é que é fácil demais para os não matemáticos – ou para os matemáticos desacostumados a aplicar a disciplina nas situações da vida real – entender mal e utilizar erroneamente a matemática numa grande diversidade de maneiras.”

A Matemática nos Tribunais combina drama de tribunais, história e matemática para mostrar que nem sempre, somente a perícia legal pode ser responsável pelo destino de um réu.

Leila Schneps & Coralie Colmez, respectivamente.

Ficha Técnica
A matemática nos tribunais
Uso e abuso dos números em julgamentos

Assunto: Matemática
Tradutor: George Schlesinger
Número de páginas: 288
Tamanho: 16x23cm
Editora Zahar


Gostou desse artigo? Compartilhe com seus amigos!

117
142 shares, 117 points
Leandro de Matos

Legend

Escolha um estilo de post
Post padrão
Postagem padrão, com formatação de textos e imagens
Lista
Listas clássicas da internet
Vídeo
Youtube, Vimeo ou Embeds do Vine
Imagem
Fotos e imagens
Gif
GIFS
Quiz
Série de perguntas com respostas certas e erradas que pretende verificar o conhecimento
Votação
Votar para tomar decisões ou determinar opiniões
Lista aberta
Envie seus próprios ítens e vote nos melhores envios
Listas por ranking
Clique acima ou abaixo para votar nas melhores listas
Meme
Faça upload de seus imagens e crie memes próprios