Se você está vivo essa semana e usou pelo menos uma hora de internet, pode perceber que os sites de notícias estão girando em torno de apenas 3 tópicos:

  1. Carreta Furação vai às ruas protestar contra o governo
  2. ISIS ameaçando explodir as olimpíadas no Brasil
  3. O limite da internet fixa.

E hoje vou falar sobre esse terceiro item, sem desmerecer a importância dos outros dois.

No início deste ano saíram diversas notícias em praticamente todos os sites de tecnologia, dizendo que a tv a cabo do Brasil perdeu mais de 1 milhão de assinaturas enquanto a popularidade do Netflix aumenta a cada dia. Com todas essas perdas, as operadoras de tv a cabo começaram pressionar ($$$) o congresso para aprovar algumas leis para dificultar o avanço do Netflix dentro do Brasil. Obviamente eles não usaram esses termos, mas a intenção era justamente essa.

limites internet fixa - nerdprideVamos voltar alguns meses atrás

Mais ou menos o meio do ano de 2015. Lembram que o Whatsapp liberou as chamadas de voz e essas mesmas empresas começaram a se mobilizar tentando bloquear o serviço no Brasil? O que está acontecendo agora é justamente a mesma coisa.

Ao invés dessas empresas usarem a criatividade em prol da melhoria dos serviços oferecidos, ao invés de melhorarem a qualidade dos serviços já existentes, estão usando toda criatividade e força para que, dentro do Marco Civil, elas possam prejudicar o avanço dos serviços de streaming (Netflix e Youtube).

As empresas conseguiram facilmente ($$$) fazer com que a Anatel comprasse essa briga e aprovasse todo esse plano maquiavélico contra o povo brasileiro, aliás, aqui, em nosso país, as pessoas no poder beneficiam quem paga mais.

Mas o que eles estão querendo fazer?

De acordo com o comunicado da VIVO, estão tomando essas medidas de internet limitada para “melhorar a experiência do usuário com a internet fixa”.

Só para esclarecer algumas coisas: Internet Fixa é aquela que você tem na sua casa, diferente da internet do seu celular é que uma internet móvel. 

Beleza, a proposta é bem romântica “melhorar a experiência do usuário”, ao menos seria se fizesse algum sentido.

O embasamento da defesa é que em muitos países mais desenvolvidos, os planos de internet fixa são limitados, porém, eles não revelam quais são esses limites oferecidos por esses países, nem a velocidade que eles disponibilizam e muito menos o valor desse serviço.

O que vamos perder com esse limite?

 

Basicamente vamos perder 3/4 do mês que pagamos, pois os limites propostos pelas operadoras são ridículos, o maior deles são apenas 130gb mensais.

Para traçar um parâmetro e entender um pouco melhor, o Olhar Digital fez alguns testes para esclarecer o que cada rede social gasta. Veja alguns exemplos:

Com o Glasswire, software de monitoramento, ligado, o teste iniciou com a reprodução de um episódio de 21 minutos do seriado “Modern Family” no Netflix. O programa registrou que 1,1 GB foi gasto durante a exibição.

No YouTube, um vídeo de 20 minutos em qualidade Full HD resultou no consumo de 458 MB. Em qualidade 4K, o consumo foi de 2,2 GB para o mesmo filme.

Para calcular os gastos com jogos online, a pesquisa usou o título “Dota 2”. O consumo foi de menos de 30 MB em uma partida online com duração de cerca de 28 minutos.

Se jogar não gasta tanto, baixar um game é uma história completamente diferente. Títulos atuais são pesados e podem comprometer totalmente a franquia, tais como Far Cry Primal (11,67 GB), Rise of the Tomb Raider (21,12 GB) e Killer Instinct (29,68 GB).

O trecho acima em itálico foi retirado do site Olhar Digital

Com os testes acimas podemos perceber que o entretenimento será uma das primeiras coisas que teremos que cortar do nosso dia a dia, mas a internet não é usada apenas para nos entreter. Nem todos trabalham o dia todo fora de casa e longe da internet, a cada dia temos mais profissionais liberais, autônomos, freelancers que trabalham da própria casa, etc.

Eu mesmo, quando fico em casa trabalhando e não estou utlizando meu segundo monitor, ele fica O DIA TODO LIGADO NO NETFLIX, ouço (não digo vejo porque coloco só pra fazer barulho, já que nem sempre estou afim de ouvir músicas) mais de 10 episódios por dia que fico em casa trabalhando.

Ressaltando que em quase todas as casas tem um roteador wi-fi, onde seus irmãos também estão usando a internet, seus pais, filhos, esposas e maridos.

Quando eu fico em casa trabalhando, no meu escritório fico editando fotos/videos, enquanto arquivos enormes estão sendo baixados ou fazendo upload para wetransfer/dropbox/drive, ao menos tempo que estou com o netflix ligado, whatsapp web, mesenger do facebook, tweetdeck atualizando automático em um cantinho pequeno da tela do meu macbook. Enquanto isso, minha filha está na sala vendo algum desenho no netflix através do xbox e minha esposa no celular subindo fotos, vendo vídeos e sei la mais o que.

Eu tenho uma agência de marketing digital, que cuida de contas de redes sociais de diversas empresas, subindo vídeos diariamente, baixando arquivos enviados pelos clientes, subindo arquivos para aprovação, fazendo conferência de vídeo/voz em reuniões. Sem contar a quantidade de webinar que participamos através do hangouts.

Muito além do entretenimento

A briga começou para prejudicar serviços de streaming, mas vai muito além disso, as empresas irão prejudicar o desenvolvimento intelectual de país inteiro. Nem todos usam a internet só pra acessar o G1 e ver alguns vídeos engraçados no Youtube. Muitos tem a internet como única ferramenta para adquirir conhecimento.

Um livro na livraria custa as vezes mais de R$ 50,00 reais, e um livro dura (ao menos na minha mão), uns 3 dias de leitura. Com R$ 100,00 por mês você paga uma internet razoável, no qual terá acessos a bibliotecas inteiras e gratuitas.

Sabe aquele café que você passa esporadicamente e acessa o WIFI GRÁTIS enquanto sua bebida está sendo feita? Vai acabar.

Sabe quando você vai na casa do seu amigo e pede a senha do WIFI? Ele nunca mais vai te “emprestar”.

Agências de marketing digital? As que não falirem, vão perder muitos clientes. Diversos funcionários online ao menos 12h por dia todos os dias vai custar uma fortuna, e esse valor será repassado para os clientes.

Deu pra entender um pouco o quanto isso é prejudicial a todas as pessoas?

Quantas escolas públicas utilizam a internet para fazer a inclusão digital de milhares de crianças? Isso também vai acabar.

O que podemos fazer?

Temos apenas duas opções, ou boicotar essas operadoras, que é impossível já que em algumas cidades só tem um único serviço disponível e as vezes o sustento da família da pessoa vem exclusivamente de serviços feitos com a internet.

A segunda opção é fazer barulho. Encher o saco dessas empresas até eles cansarem. Lotar o sac deles de reclamações, lotar a caixa de emails, lotar as redes sociais, gritar, protestar, fazer barulho.

Não podemos ter esse retrocesso em nosso país, isso vai contra a evolução.

 

Ficou alguma dúvida em relação aos limites da internet fixa?