UMA DAS COISAS MAIS LEGAIS DE DEADPOOL É A TRILHA SONORA DESCOLADA. As músicas não estão lá apenas para dar o tom das cenas. Muitas vezes elas funcionam como parte da narrativa para dar base para algumas das piadas do roteiro.
Música é extremamente importante, complementa, mexe com as sensações e emoções junto ao visual, e em Deadpool eles ACERTARAM em cheio nisso!

“Angel of the Morning”

O cartão de visitas da trilha sonora é “Angel of the Morning”, aqui cantado por Juice Newton. The Pretenders e Nina Simone são algumas das cantoras que já brincaram com essa composição dos anos 1960. Não poderia ser uma canção mais irônica para a abertura de Deadpool.

“Shoop”

Logo nos minutos iniciais, o nosso “herói” está se divertindo observando o movimento na rodovia e aguardando o carro com os vilões que irão sofrer a sua ira vingativa. “Shoop” é usada para dar o ritmo de humor e irresponsabilidade do personagem.

“Mr. Sandman”

Verdadeiro clássico da história da música, “Mr. Sandman” é ouvida no momento em que o personagem de Ryan Reynolds passa a lidar com os experimentos que o transformam em Deadpool e inicia a sua busca pelo responsável por “foder” com o seu rosto.

“Calendar Girl”

O amor nos deixa malucos e dispostos a fazer verdadeiras besteiras, não é verdade? Nada melhor que usar uma velha canção dos anos 1960 para mostrar o relacionamento libidinoso do casal principal. Tudo isso combinando humor com sensualidade…

“Howlin’ for You”

Tem uma cena em que dá para ouvir “Howlin’ For You”, do Black Keys, tocando bem baixinha, discretamente no momento em que Wade visita o bar de seu amigo. Aliás, vale a pena conferir o vídeo musical da música. Lembra bastante o clima Grindhouse que Tarantino e Rodriguez tentaram ressuscitar recentemente.

“X Gon’ Give It To Ya”

O rap do DMX aparece em um dos vários momentos em que a narrativa é interrompida para criar piadas interativas com o público. Deadpool convida os amigos para buscar a sua garota e ouvimos “X Gon Give it To Ya” para criar o clima bad boys com direito até a andar em slow motion. No entanto, nosso “quase herói” esqueceu as armas dentro do táxi e precisa interromper a música. Literalmente.

“Careless Whisper”

Após a confissão, a música do Wham (antigo projeto de George Michael) é a mais importante presente em Deadpool. Ela é mencionada num momento chave da trama e toca apenas na hora certa, numa referência modernizada ao “clássico” Digam o que Quiserem, de Cameron Crowe.