Andrew Pyper nos leva mais uma vez em uma viagem ao sobrenatural. Em O Demonologista falamos com demônios, em Os Condenados viajamos para o que vem depois da morte. Mais uma vez publicado pela Darkside Books, vamos atravessar os mares da morte na vida e na morte de dois irmãos gêmeos. Será realmente que gêmeos possuem tal ligação que os mantém interligados mesmo após a morte?

img_20161016_183210

Danny Orchard é irmão da garota de ouro Ashleigh. Ash era a figura externa perfeita, dona de uma beleza exuberante e de um futuro promissor, enquanto Danny era o esquisito da família. Isso para aqueles que os viam de fora. Dentro de casa o inferno era feito por Ash, a garota psicopata. A garota atormentava a sua família de um jeito que aos poucos cada membro da família ia caído em ruínas. A mãe alcoólatra, o pai vivia mais no trabalho que em casa, justamente para ficar longe da sua filha monstro e pobre Danny sem muitas opções era constantemente atingido pelas ações da irmã.

“Ao olhar para a nossa família – para ela – você certamente pensaria que éramos sortudos. Porém, dentro das paredes de nossa casa… havia um segredo. Meu pai, minha mãe e eu sabíamos que um monstro vivia conosco…”

As ações da irmã de Danny causaram a destruição da família Orchard. Até que um dia em uma casa abandonada Ash foi queimada viva, Danny tentou salvá-la, mas só conseguiu uma carimbada no seu passaporte para o que ele chamaria de “O Depois”. Ash morreu as dezesseis, mas Danny milagrosamente voltou a viver. Danny é o que se pode dizer de um especialista em post-mortem.

“Eu morri mais de uma vez na minha vida. Algumas pessoas conseguem equilibrar pratos em varas, outras podem acertar todas as tacadas jogando golfe… mas poucas têm tantos carimbos no passaporte da outra vida como eu.”

img_20161016_182828

Então quando se pensava que a morte da psicopata traria paz à família, eis que ela volta para atormentar a vida daquele que deveria ter morrido junto com ela, pois eram irmãos gêmeos, e gêmeos tem de ficar juntos. Com Ash atormentando a sua vida diariamente durante uns vinte anos, Danny meio que vive como um solitário. Afastando todas as pessoas de si para que a sua irmã não cause danos em outros além dele.

“Às vezes eu vejo a sua irmã, ele disse”.

“Eu também.”

“Ela se sente só onde está. Não deixe que Ash impeça você de viver, disse.”

“Como? eu quis perguntar. Aonde posso ir sem que ela me siga?… não tinha uma resposta, porque não havia uma.”

img_20161016_183550

Ash voltou somente porque não queria ficar sozinha. Simplesmente ela era egoísta demais pra deixar o seu irmão viver, enquanto ela a garota brilhante estava morta “vivendo” no seu inferno particular.  Tanto que ela fez com que ele viesse para a casa durante o incêndio para que eles morressem juntos.

“Você não deveria estar aqui, Danny. Mas, já que está, vai viver como se estivesse morto. Como eu.”

A primeira morte de ambos aconteceu no nascimento. Com um pedido desesperado de uma mãe, que rogou até ao demônio para que salvasse os seus filhos. Se a senhora Orchard soubesse o que esse ato de desespero acometeria no futuro, ela teria deixado às crianças morrerem, pois a alma de Ash foi levada, em troca ganharam uma criança perfeita para terceiros e o demônio para a família.

img_20161016_182727

“Ela rezou. Um apelo a qualquer deus ou demônio que estivesse escutando.”

“Salve os meus bebês e você poderá me levar. Sou sua.”

“Se fizer isso, pode levar o que bem entender.”

“… nada poderia reverter esse erro, nem mesmo sua própria morte.”

Danny continuou sua vida, escreveu um livro e tentou ao máximo e com sucesso absoluto, se manter longe das pessoas. Até se apaixonar. Ash nunca deixaria o seu irmão em paz, pois ela não poderia ser empurrada de volta, ela só podia ser puxada. Com isso Danny começa uma corrida frenética para devolver a sua irmã para o inferno, mesmo que para isso ele tenha que morrer. Ash nunca mais machucaria alguém que Danny realmente amasse.

“Uma história verdadeira que fala de solidão, de assombrações e de como encontrar formas inesperadas de ser feliz”.

img_20161016_183312Andrew Pyper sempre consegue me surpreender, mesmo a temática sendo semelhante ao de seu primeiro livro, pois o amor é sempre o ponto forte desse autor. Além do medo podemos sempre destacar outros sentimento no livro. Danny é um solitário, foi obrigado a ser, sua irmã nunca permitiu que ele tivesse uma vida, nem a nenhum de seus familiares. O egoísmo de Ash veio de sua falta de humanidade, que lhe foi roubada no ato de seu nascimento, por um pedido desembestado de uma mãe desesperada.

O amor nos faz cometer erros ainda mais desastrosos que o ódio. E como Ash era incapaz de amar, em compensação ela conseguia trazer dor, ódio e inveja a todos que com ela convivessem. Por isso ela foi brutalmente assassinada, e mesmo depois de morta nunca deixou o mundo dos vivos. Danny é o único que pode acabar com o reinado de terror de sua irmã. Enquanto Ash é movida pelos piores sentimentos, dentre eles o egoísmo, Danny possui um dos maiores o amor.

O que esperar desta obra? Não se trata de uma história de terror, mas de medo. Vi muitos falando que não tiveram medo nenhum ao ler a história esperavam mais terror. Enfim, já conheço o estilo de Andrew. Talvez hoje as pessoas achem que terror é um assassino com uma serra matando jovens imbecis, mas será que ter a vida devastada por um fantasma não é aterrorizante? Se isso acontecesse realmente a alguém creio que ela viveria uma história de terror diária. O fato é que a escrita é boa. O livro é dividido em quatro partes, o problema maior é quando se chega à terceira.

img_20161016_183400

Nesta parte a leitura é um pouco arrastada no inicio, até o personagem principal encontrar a antagonista. Você vive uma agonia, Danny atravessa diversas passagens por lugares que para o leitor pode até ser desnecessária, mas aparentemente para o personagem não. Andrew pecou um pouco nas descrições. Algumas passagens há muitas descrições desnecessárias, enquanto em outras peca pela falta. Tirando isso os diálogos são bem desempenhados e o desfecho é bem interessante.

Sobre a publicação física o livro é sem dúvida muito parecido com O Demonologista. Ou seja, é um livro muito bem elaborado. Quem o vê de longe pode imaginar que é um livro de aspecto destruído. A Darkside sabe mesmo como fazer uma edição bonita. O livro é em capa dura com toque aveludado e em outras partes áspero, com letras douradas em relevo. É um livro que os seus dedos tem que passar por toda a capa sentindo a estrutura e os efeitos que são aplicados na edição. A tradução é de responsabilidade de Cláudia Guimarães a mesma de Golem e o Gênio e O Menino que Desenhava Monstros, publicados pela mesma editora.

img_20161016_183042Andrew Pyper é autor de seis romances,dentre eles O Demonologista ,primeiro lugar na lista dos mais vendidos na sua terra natal,o Canadá – e publicado pela Darkside Books em 2015. Seus outros trabalhos incluem Lost Girls (ganhador do Athur Ellis Award e na lista dos mais vendidos do New York Times), The Killing Circle (Romance Policial do Ano do New York Times) e The Guardians (Melhor Livro do Globe and Mail). O Demonologista está atualmente sendo transformado em um filme pelo produtor e diretor ganhador do Oscar Robert Zemeckis,com a Universal Pictures. Ele vive em Toronto. Saiba mais em andrewpyper.com.

Título: Os Condenados

Título original: The Damned

Autor: Andrew Pyper

Tradução: Claudia Guimarães

Gênero: Terror

Editora: Darkside

Ano: 2016

Páginas: 320

ISBN: 978-85-9454-003-4 (capa dura)