Onde Cantam os Pássaros | O passado um dia sempre nos encontra.

Há tempos estava na lista de leituras. Onde Cantam os Pássaros foi uma grande aposta da Darkside® books na linha Darklove. Escrito por Evie Wyld. E este foi o segundo livro da editora que me deixou no dilema Shakespeariano de odiar ou não odiar, eis a questão.

Jake Whyte vive sozinha criando suas ovelhas em uma fazenda antiga em alguma ilha britânica (nome não mencionado no livro). Jake é uma fazendeira esquisita, mora há três anos na ilha, mas não fez amizades nem com outros criadores de ovelhas. O seu passado é obscuro. Muitos têm curiosidade sobre ela, mas ninguém consegue lhe arrancar algo.

“Três anos. Você não foi ao pub uma vez sequer.”

“Isso é uma mentira. Eu fora uma vez, mas Don gostava tanto de afirmar isso que nunca escutava quando dizia.”

Nos últimos meses ela tem perdido algumas ovelhas brutalmente “mutiladas”. Algo não humano aparentemente vem estraçalhando os seus animais. Para ela poderiam ser as crianças, no caso adolescentes, que talvez fizessem isso por diversão. Mas com o passar dos capítulos nota-se que não parece ser algo natural deste mundo. Coisa que Jake não tem como provar.

“… e na hora que cheguei à cerca, pude ver aquela forma correndo em volta do aglomerado de ovelhas… e a forma era maior e mais larga que um homem, mas desapareceu quando eu tentei mirar…”.

A única companhia da vida de Jake é o seu cachorro, o Cão, sem ele, ela viveria completamente sozinha. Isso até que em uma noite ela encontra um estranho no celeiro das suas ovelhas. Com um tempo Jake e o estranho que se chama Lloyd começam a ter uma relação de amizade e cumplicidade não intencional. Se a vida de Jake é um mistério a de Lloyd é muito mais.

“Certo, disse outra vez, estendendo a mão para me cumprimentar por sobre a ovelha… Me chamo Lloyd.”

“Jake, acenei com a cabeça.”

Os capítulos não são escritos de forma linear, muito menos de forma conexa. Evie é bem peculiar em sua escrita. Ela não encerra os parágrafos de forma clara, por vezes precisei reler parágrafos para entender que ela já tinha partido para outra parte do passado de Jake. Pois o livro é escrito no presente e outras vezes no passado. O passado de Jake é bem conturbado e o modo no qual a autora resolveu escrever, não ajudou muito a desvendar muitas coisas do aspecto da personagem.

Dona de uma vida bem embaraçada durante sua adolescência e parte da vida adulta, conseguimos ver que ela não consegue interagir por medo, receio e vergonha. Conquistar a sua confiança é algo quase impossível. O dia-a-dia dela com suas ovelhas são monótonos, menos quando elas surgem mortas. O diferencial durante a trama são as idas ao passado, onde sabemos que Jake é australiana.

Não temos características físicas satisfatórias. Sendo assim além de não conhecermos a fundo o psicológico do personagem, também não temos uma imagem do seu físico. Não há uma temporalidade. Não dá pra ter ideia de qual década se passa a história, pelo menos não de forma precisa. Pode ser na década de 80 em diante, suspeito. Várias vezes somos incorporados ao passado de Jake, e o que de fato conseguimos compreender é que ela foge do seu passado desde à adolescência,pois ela cometeu um acidente que colocou em cheque a vida de duas pessoas. Detalhe, de uma é certeza a morte, da outra é especulação.

O livro me deixou completamente desgostosa. A autora faz o favor de não terminar o que começa a contar do inicio ao fim do livro. Não sabemos em que ponto ela decidiu viver na prostituição, não sabemos o que se passava na mente dela para tomar esta decisão. Não sabemos se o velho safado do seu passado viagra sans ordonnance chegou a reencontrá-la depois que ela fugiu. Se o namorado que ela teve Greg, descobriu algo sobre ela ter sido prostituta e se sim ou não como se deu o rompimento de ambos, fazendo assim Jake sair da Austrália para a ilha onde agora mora.

Não temos a presença da família para quem ela sempre liga, mas nunca fala. Se eles teriam interesse em vê-la ou não e principalmente que papel eles tiveram na partida de Jake. Não sabemos basicamente nada sobre Lloyd e mesmo assim ele se torna alguém de confiança. Aparentemente por ambos têm algum passado sujo eles se deem bem. E definitivamente nunca saberemos se o chupa-cabra deu as caras nas ilhas britânicas (detalhe que aparentemente essa coisa só ataca as ovelhas de Jake). O que sabemos é que ela vê a coisa, um rapaz estranho também vê e Lloyd também. E como todos os personagens quando esta criatura é vista a única descrição que passam é que ela possui olhos amarelos (talvez seja um basilisco).

Em toda história temos mais características de pássaros do que de outros personagens, os ornitólogos talvez se interessem pelas espécies, mas isso não influenciou em nada na história ou no crescimento da personagem, mas de fato é notável que ela conheça muitas espécies. A autora pecou muito nas descrições principais, mas foi excelente em mostrar as partes do abuso de Jake. Como ela conseguiu as terríveis marcas em suas costas, que lhe causam pesadelos todas as noites. E neste ponto algumas descrições tornam-se desnecessárias.

Foi um livro que fui até o fim na esperança de que algo fosse desvendado. Queria pelo menos saber o que matava as ovelhas. A história de vida de Jake poderia ter sido interessante se a autora a tivesse escrito de uma maneira mais clara. Talvez ela escreva assim para passar um nível superior de escrita, mas não fui a única a achar entediante e confuso. Onde Cantam os Pássaros é a prova viva da expectativa X realidade. Ele simplesmente não é odioso (mentira, ele é trágico), Evie por conta deste livro pessimamente escrito se tornou uma escritora que estará para sempre fora de minha estante. Parece mais uma autora iniciante, e talvez os iniciantes sejam até melhores. Ela parece mais uma pessoa com preguiça tentando terminar nas últimas um trabalho que está sendo cobrado pelo editor. Então ela o escreveu de qualquer jeito e alguém que não o leu o publicou e deixou lá nas livrarias, com uma bela capa para ser vendido, como suvenir, mas não como uma obra literária.

Partes positivas é que o livro tem um aspecto lindo. A Darkside Books® nunca deixa a desejar as suas edições. As laterais das folhas são pintadas de preto, a capa é dura, como sempre possui um toque aveludado ao toque. É um exemplar que compensa estar em uma estante pela beleza. Ao tradutor Leandro Durazzo, desejo-lhe a sorte que lhe faltou na tradução deste exemplar. Mais vale um obrigado pelas informações inseridas no rodapé, que facilitaram saber sobre algumas espécies de animais que foram citados no decorrer do livro.

Evie Wyld é escritora. Seu romance de estreia, After the Fire,A Still Small Voice,foi selecionado para o Impact Prize,o Orange Awards for New Writers e para o Commonwealth Writer’sPrize,tendo conquistado o prêmio John Llewllyn Rhys. Em 2011,a autora foi indicada pela BBC como um dos doze nomes entre os melhores romancistas britânicos,em 2013 integrou a Granta´s Best of Young British Novelists. Onde Cantam os Pássaros ganhou o Miles Franklin Award,o mais importante prêmio literário australiano,o britânico Jerwood Fiction Uncovered Prize e o Barnes & Noble Discover Award,oferecido pela livraria norte-americana aos novos autores de destaque. Vive em Londres e é uma livreira convicta; mantém uma pequena e simpática livraria independente no bairro de Peckham, a Review Bookshop. Saiba mais em eviewyld.com.

Título original| All the Birds,Singing

Título| Onde Cantam os Pássaros

Ano| 2015

Gênero| Literatura Inglesa

Editora| DarkSide® Books

Tradutor| Leandro Durazzo

Acabamento| Capa Dura

Páginas|256

ISBN| 978-85-66636-52-9

 

 

 

 

você pode gostar também Mais do autor