Golem e o Gênio: Uma fábula eterna

Vamos voltar no tempo, Nova York, no final do século XIX. Para ser mais precisa Manhattan, a cidade que recebia anualmente milhares de imigrantes, vindos de diversos países em busca de um sonho de vida melhor. No Lower East Side, podiam-se encontrar diversos bairros de imigrantes de várias nacionalidades. Todos cheios de sonhos e suas diversidades culturais e religiosas. Vamos entrar na fábula escrita por Helene Wecker, publicada aqui no Brasil pela Darkside Books, a cativante história de Golem e o Gênio.
Golem__(7)[1]
Este é o primeiro romance da autora. A história gira em torno do passado e do presente de duas criaturas fantásticas, que pertencem a culturas diferentes. Que se unem em uma amizade nada singular. Além de mergulharmos pela cultura hebraica e síria, também conhecemos a mitologia de cada uma, o que torna a história magnífica. Vemos o dia-a-dia dos moradores dos bairros judeu e árabe. Conhecendo a vida nada fácil na época, aprendendo a conviver com o novo idioma e apesar da precariedade ainda alimentar os sonhos de mudanças.
Nossa história começa quando um homem cansado de sua vida de derrotas em sua cidade natal decide partir de seu país rumo a América. Rotfeld não deseja ir sozinho para a sua jornada. Portanto decide criar sua esposa e vai então atrás de um feiticeiro que possa tornar a sua vontade em realidade.
Golem__(1)[1]
“Eu quero que você me faça um golem, que possa passar por humano”, disse. “E quero que seja uma fêmea”
Golém é um ser feito de barro, desprovido de alma, que era criado com o propósito de proteção. Um golem poderia até mesmo matar o seu criador caso perdesse o controle, é a sua natureza. Mesmo assim este era o desejo de Otto Rotfeld, e assim sua esposa foi criada. A golem pertence à cultura judaica, mais precisamente a cabala. Mais infelizmente Rotfeld morre antes mesmo de chegar ao seu destino, a pobre golem desperta no navio fica sem seu mestre. Um golem sem mestre é praticamente um ser confuso.
“Tudo o que via era novo e desconhecido, e essa sensação parecia não ter fim. Ela estava assustada e confusa…”
Golem__(3)[1]
Além da golem temos Ahmad o Djim, popularmente conhecido como o gênio. Diferentemente dos gênios que já conhecemos na TV como Jeannie é um gênio, ou o de Aladdin. Ahmad além de deixar cair por terra à lenda dos três desejos tão pouco tem uma aparência humanoide. Ele é um ser feito de fogo. Os djins podem possuir as formas dos elementos. Claro que Ahmad pode se transformar em que espécies desejar, mas raramente escolheria a forma humana.
“Diga onde está o feiticeiro”, disse o homem, ”para que eu possa matá-lo.”… “Ele me prendeu dentro de um corpo humano.”
Ahmad fora aprisionado em uma garrafa antiga, que foi parar nas mãos habilidosas de Arbeely para que este tirasse os amassos da mesma, mas como por azar saiu um gênio extremamente mal humorado e mesquinho de dentro dela. Que ainda por cima, não realiza desejos.
Golem__(2)[1]
“Em sua forma original, era capaz de se insinuar na mente de alguém sem causar qualquer desconforto e observar tudo sem ser percebido”.
Ahmad viveu séculos preso em uma garrafa, ser desperto em uma cidade estranha e na forma humana com pulseiras de ferro o impedindo de mudar para a sua real forma, era de se imaginar que ele fosse uma criatura difícil. Ahmad começa a trabalhar na oficina de Arbeely,e uma história de amizade começa a se formar,apesar do constante azedume do gênio. O maior problema do djim além do fato de estar preso a um mestre desconhecido é o fato de ele não se lembrar de como entrou na garrafa, as suas memórias sumiram.
“Além da longevidade, os djins eram abençoados com uma memória prodigiosa, quase fotográfica, e o Djim não era exceção… Mas os dias que precederam a sua captura, e até o próprio acontecimento em si, foram obscurecidos em sua mente, por uma névoa espessa.”
Golem__(6)[1]
A vida da golem muda quando ela conhece o rabi Meyer, que começa a ensiná-la a se passar melhor como humana. A golem, agora passa a ter nome Chava, consegue um emprego e parece conseguir viver sem um mestre. Até ela se encontrar acidentalmente com o Djim. Chava e Ahmad começam uma inexplicável amizade que os leva aos mais diversos conhecimentos. Ambos se veem unidos pelas semelhanças de não pertencerem a aquele lugar. São seres de aparência humana,que trabalham,convivem com humanos, mas são completamente o oposto deles. A curiosidade os juntou, um querendo saber o que o outro era, o que acabou depois se tornando estranha. Apesar das enormes diferenças de personalidade, o pouco em comum que tinham criaram laços muito fortes.
“Era tão curiosa quanto ele, mas hesitava em explorar o mundo… Em tudo, o caráter dela era exatamente o oposto do que ele normalmente procurava em uma mulher. Ela daria uma péssima djim… provavelmente ele também daria um péssimo golem.”
Golem__(4)[1]
A personalidade de cada um é bem explorada pela autora. Helene deixa bem as vistas que apesar de Chava não ter um mestre, ela se sente presa a sempre desejar ter um, para que consiga viver. Já Ahmad é um espírito selvagem, sempre atrás de aventuras e por vezes ele é muito inconsequente. Isso o levou a ficar preso na garrafa no passado. Um anseia por liberdade e o outro por ter um mestre. O assunto é tema forte de discussão entre os dois. Ahmad e Chava por não dormirem começam a explorar a Nova York durante a noite. Antes os passeios eram solo. Ahmad ia sozinho, mas ao conhecer Chava ambos começaram a ser uma dupla estranha nas noites de NY.
O livro é dividido basicamente em dois. A primeira parte vai da apresentação dos personagens e passagens pelas culturas de onde ambos surgiram e como a amizade de ambos aconteceu e se fortaleceu. A segunda é o momento da separação dos dois. E é nesta segunda parte que vemos que os laços entre Chava, a golem e Ahmad o gênio, são mais estreitos e entrelaçados do que se podia imaginar. Muitas revelações acontecem e assim muitos pontos são conectados. Foi justamente nesta parte onde devorei o livro tão vorazmente que quando acabou fiquei meio em choque, pois é de fato uma leitura saborosa.
Golem__(5)[1]
A narrativa de Helene Wecker é sensacional, a história te prende do começo ao fim. Os flashbacks são um caso a parte que te fazem navegar pelo passado esquecido de do gênio e do feiticeiro que o prendeu na garrafa. A edição é magnífica, capa dura com toque aveludado. A tradução foi feita por Cláudia Guimarães, que também nos presenteou com algumas notas de rodapé, nos trazendo mais algumas informações. Além também das notas do editor.
O livro é maravilhosos, já li muitos livros da editora, mas este com certeza está no topo. Foi cativante, instigante, inovador e encantador em toda a sua linda forma. Viajamos por culturas banhadas no misticismo. Além de vários momentos reflexivos sobre a alma humana.
Golem__(8)[1]
Helene Weckr graduou-se na Carleton College,em Minnesota,e obteve o mestrado na Universidade de Columbia,em Nova York. Natural de Chicago, a autora morou em Minneapolis, Seattle e Nova York, e agora vive perto de São Francisco com o marido e a filha. Golem e o Gênio é o seu primeiro romance.

Título: Golem e o Gênio
Título original: The Gollem and the Jinni
Autor: Helene Wecker
Tradução: Claudia Guimarães
Gênero: Ficção,fantasia
Editora: Darkside Books 
Ano: 2015
Páginas: 520
ISBN: 978-85-66636-48-2 (capa dura)

 

você pode gostar também Mais do autor

  • Kamila

    Terminei de ler semana passada! Adorei, te deixa preso do início ao fim! Muito bem construída a história. 10/10!

    • Jordana Martins

      Protelei muito para lê-lo,mas sempre o desejei,valeu muito apena,que bom que também gostou.